Deixe um comentário

Vem dançar com a gente?

 

Dia 3 de maio começa o circuito de atividades do mais recente projeto da Cia Rústica, FEITO CRIANÇA- ARTE E FORMAÇÃO, que será realizado em sete escolas públicas municipais de Porto Alegre. Além de apresentações, o projeto envolve oficina de danças urbanas e integração dos alunos no próprio espetáculo. A ideia é promover o encontro de pessoas, movimentos e desejos, gerando um espaço de intercâmbio e multiplicação de saberes, ampliando campos de ação artística. O financiamento é do Fumproarte.


Como redescobrir o encantamento do mundo em uma época de violência e desencanto? Os atores-bailarinos compartilham fragmentos coreográficos que buscam recriar o prazer, o jogo e a liberdade que compõem o exercício da descoberta do corpo, do espaço, do mundo. Propomos movimentos que desejam provocar intercâmbios sensíveis e impulsionar desejos de voo. A diversidade é uma marca da montagem, que reúne artistas com diferentes trajetórias e repertórios, diferentes núcleos de criação da cidade (Cia Rústica, My House), diferentes gerações, perspectivas, práticas, desejos. Como conviver com o outro? O espetáculo busca o convívio em cena, jogando com diferenças e valorizando a beleza da diversidade.
Em maio e junho, FEITO CRIANÇA irá visitar as escolas municipais Saint Hilaire, na Lomba do Pinheiro (03 e 04/05), Jean Piaget, no Parque dos Maias (30 e 31/05), Ana Íris do Amaral (01 e 03/06 ), no Bairro Protásio Alves, Liberato Salzano Vieira da Cunha, no Sarandi (11 e 12/08), Mario Quintana, na Restinga, Chapéu do Sol, no Loteamento Village, Neusa Goulart Brizola, no Cavalhada.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Adriana Marchiori.

 

Confira as fotos das apresentações já realizadas:

Saint Hilaire, na Lomba do Pinheiro (03 e 04/05)

Este slideshow necessita de JavaScript.

 


Deixe um comentário

SOBRE A CIA RÚSTICA

centro ceno.jpg

A Cia Rústica surge em 2004 (Porto Alegre- RS), com o objetivo de criar uma zona autônoma de trabalho entre artistas plurais. É um dos núcleos teatrais mais significativos da cidade, desenvolvendo uma trajetória de investigação consistente, projetos relevantes, espetáculos premiados e reconhecidos pelo público. Investiga o teatro como espaço de encontro, a cena como experiência e mecanismo de conexões, dentro da perspectiva de uma ética da festividade na criação cênica: uma ética do encontro e da diversidade, que celebra o corpóreo, o prazer e o próximo, entendo a festa como forma de negociar com a morte e reinventar o mundo. Busca um pensamento não dissociado do corpo, formas de ressignificar o político, trânsitos entre humor e poesia, navegações entre a rua e o palco, combinando diferentes recursos na composição cênica – música, vídeo, dança, palavra, fisicalidade, real, ficção – em uma celebração antropofágica da rede polifônica que alimenta a cena contemporânea.


Deixe um comentário

SOBRE O ESPETÁCULO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como redescobrir o encantamento do mundo em tempos de violência e desencanto? Buscando colaborar no resgate do espaço público como lugar de convívio e afeto, Feito Criança propõe uma experiência da cena na rua, com movimentos desenvolvidos a partir da observação e reinvenção dos movimentos de uma criança pequena. Para além da cópia formal, a proposta inspira-se no desejo do corpo em contato com o mundo da perspectiva da criança: um corpo que dança, deriva, procura, reage, gargalha, descobre e está em constante relação. A diversidade da formação dos performers envolvidos (que inclui hip hop, dança contemporânea, dança do ventre, teatro, etc.) bem como as diferentes gerações de corpos é valorizada como riqueza da montagem. Buscamos delicados desvios nas trajetórias retilíneas do cotidiano, movimentos que desejam afetar o outro, provocar intercâmbios sensíveis e impulsionar desejos de voo. A cena como estado de encontro entre artistas e público, entre a arte e a rua, entre o eu e o outro.

Continuar lendo